Sugestões da sessão na FPCEUP (Porto)

– Acabar com as propinas para os bolseiros. Prazo de decisão mínimos na atribuição das bolsas.
– Para quando a propina correspondente às unidades curriculares frequentadas?
– Para quando o ensino superior gratuito?
Osvaldo C.

– Relativamente à atribuição de bolsa, penso que devem ser fixados prazos de resposta dos SASUP praticáveis, ou seja, que não comprometam a dignidade de vida dos possíveis bolseiros durante o período de espera, nem após, ser rejeitada), emprego de mais funcionários de avaliação dos processos e certificação de que falhas de preenchimento são diminuídas, estipulação sensata de escalões de atribuição do valor de bolsa. Por outro lado, se bolsas são necessárias, a questão é que o financiamento do estudante é inexistente e as propinas exorbitantes.
Ana Luísa A.

Em termos de mudanças legislativas, confesso a minha ignorância em relação ao enquadramento vigente, para poder fazer propostas mais sustentadas. Mas, aquilo que me parece mais imediato, será mesmo a definição de prazos específicos para o resultado dos famigerados concursos (com período de reclamações suficientemente lato). Creio que será uma sugestão mais ou menos recorrente entre todas aquelas que têm recebido e, talvez, aquela que é mais viável no nosso quadro sócio-político.

Uma iniciativa mais “extrema” seria propôr uma revisão do sistema de “bolsas”, mas confesso que me parece muito improvável de vir a sair bem sucedida. Falo, por exemplo, de substituir a lógica de atribuição ou não de “bolsas”, que carregam em si uma conotação pejorativa do assistencialismo social, para uma redefinição das propinas para os alunos mais carenciados (baixando-as, mesmo anulando-as, em alguns casos). É uma ideia mais difícil de impôr em termos sociais e políticos, mas parece-me que aponta para uma solução mais democrática e conforme os nossos princípios constitucionais.

Frederico

– Formas progressivas de execução das normas constitucionais programáticas relativas à tendencial gratuitidade dos vários níveis de ensino.
– Os grupos parlamentares devem incluir num projecto de lei a definição de prazos obrigatórios de análise de processos e de resultados relativos às bolsas de estudo.
Pedro C.

– A troca de informação entre as diversas entidades com o SASUP para uma redução da burocracia e dificuldade do bolseiro em preencher o formulário e cumprir os requisitos.
– A existência de um prazo máximo da atribuição de bolsas e a criação de mecanismos para o completar dos requisitos ao longo dos meses de espera e não para uma segunda fase de atribuição de bolsas.
Anónimo

– Todo o processo de atribuição e selecção de bolsas deve ser mais transparente e universal.
Ricardo C.

– Em relação às bolsas devem ser realmente estabelecidos prazos (curtos) para divulgação dos resultados.
– A burocracia é ainda um problema como a dificuldade de acesso a qualquer tipo de informação. Os órgãos superiores nunca estão desponíveis para atender os alunos.
– O acesso ao ensino superior devia ser reestruturado, senão feitos exames na própria faculdade (evitando problemas das médias e das facilidades do ensino privado).
Ágata R.

– No mínimo deve existir um prazo máximo de atribuição ou não da bolsa, mas confesso que não estou suficientemente informada relativamente a este assunto para apontar grandes ideias ou sugestões.
Teresa C.

– Maior apoio aos estudantes
– Política das propinas
Joana C.

– Deveria haver prazo para a resposta ao processo de bolsa.
– O ensino, todo ele, deveria ser gratuito.
Víctor R.

– Os critérios de atribuição de bolsa
– Suavizar o valor da propina
– Reduzir o tempo de espera de bolsa de estudo (resultado de candidatura)
– Reduzir a burocracia nas candidaturas
Sérgio F.

– Prazos curtos para a saída de resultados das bolsas de acção social.
– Mais funcionários para a análise das bolsas
– Fiscalização aos sinais exteriores de riqueza
António N.

– Critérios mais claros de avaliação.
– Definição daqueles que podem ser bolseiros, sobretudo ao que se refere à nacionalidade.
Ariadne C.

– Deveria ser passada mais informação aos estudantes, nomeadamente acerca de prazos, quais são os passos do processo e quem pode esclarecer as dívidas dos alunos dentro das universidades. Basicamente, esclarecer a burocracia e a delegação.
Anónimo

– Mudança da política de avaliação das candidaturas
– Maiores apoios aos alunos, dado o excessivo valor das propinas
– Diminuição do valor das propinas
– Caso não seja possível atirubuir bolsas a certas pessoas, poderiam das a oportunidade a esses estudantes de ter emprego para pagar estudos, ou seja, criar emprego part-time especialmente para estes casos.
Anabela S.

– Clarificação do processo, prazos, etc.
– Atribuição ou nomeação dos responsáveis para orientação e ajuda dos estudantes candidatos a bolsa.
– Colectivamente procurar alternativas para os processos actuais que se demonstram desadequados.
Jorge S.

– Deveria ser estabelecido um prazo fixo para a atribuição das bolsas de estudo e deveria haver um aumento do número de funcionários para a avaliação das bolsas.
– As universidades deveriam ter um órgão que se disponibilizasse a ajudar os alunos a tratar dos papéis para a bolsa ou de qualquer problema que venha a surgir na atribuição das mesmas.
– Também é essencial um redução dos valores das propinas.
Joana P.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: