Pedidos ultrapassam os nove milhões de euros

in Diário as Beiras
por Patrícia Cruz Almeida

Estudam em Coimbra, 799 alunos que pediram empréstimos para frequentar o ensino superior.
Depois de Lisboa e Porto, a região de Coimbra está em terceiro lugar no “ranking” do valor concedido pela linha de crédito com garantia mútua.

Em Dezembro de 2009, 11.108 estudantes, a nível nacional, tinham recorrido à linha de crédito, um número que, em apenas dois anos cresceu mais de 600 por cento: entre Dezembro de 2007 (data de criação da linha) e Dezembro de 2009, o número de empréstimos passou de 1.524 para mais de 11 mil.

No que respeita a apoios contratados nos estabelecimentos de ensino da região de Coimbra, o valor ultrapassa os nove milhões de euros. No entanto, o relatório do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, a que do DIÁRIO AS BEIRAS teve acesso, adverte que a distribuição geográfica dos pedidos de empréstimo deverá estar directamente relacionada com a distribuição da população.

Refira-se que quase dois terços dos empréstimos estão a ser dirigidos a estudantes matriculados em estabelecimentos de ensino superior públicos, com um maior peso das universidades por oposição aos institutos politécnicos.

Os alunos de Enfermagem são os que mais recorrem ao crédito (590 pedidos), seguidos pelos de Direito (507) e Arquitectura (309). Medicina está no sexto lugar, com 220 empréstimos. Os que menos recorrem à banca são os alunos de Biologia (64). Lisboa e Porto registaram 2.228 e 2.153 contratos, respectivamente, e Portalegre e Bragança pouco mais de cem.

Até ao final de 2009, o valor de crédito contratado com os 11.108 estudantes ascendia a mais de 128 milhões de euros, valor a ser desembolsado durante o período de tempo que durarem os respectivos estudos (até um máximo de cinco anos).

Em 31 de Dezembro de 2009, o valor do crédito já utilizado era de 45.8 milhões de euros. O ministério refere que apenas cerca de 30 por cento dos estudantes com empréstimos são bolseiros da Acção Social do Ensino Superior.

O objectivo é financiar o estudo de alunos do ensino superior, com condições vantajosas. O prazo de reembolso do crédito varia entre os seis e os 10 anos após a conclusão do curso e existe pelo menos um ano em que o estudante não paga capital (ano de carência).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: