Estudantes por Empréstimo em Viseu

Em Viseu, fizemos uma sessão na Escola Superior de Educação, que contou com algumas dezenas de estudantes interessados no problema. Sabemos já que alguns deles virão a Lisboa para a sessão final. Aqui ficam sugestões de mudança deixadas no final do Teatro Legislativo.

– Mais rigor na avaliação da atribuição da bolsa de estudos.
– Em vez de se basearem no IRS anual, terem em conta o salário actual do agregado familiar, visto que, às vezes, são cometidas injustiças.
– Darem uma maior margem para que as pessoas provem que necessitam mesmo da bolsa pois, por vezes, existem pessoas que necessitam mesmo dela para poderem estudar (e estudar é um direito que todos devem ter) mas, porque existem tantas burocracias ou simplesmente a administração falha, uma pessoa que merece e, reforço, necessita da bolsa, não lhe é atribuída.
Marta S.

Haver reuniões gerais de alunos.
No Ensino Superior podia mudar, por exemplo, nas candidaturas à bolsa, os resultados não demorarem tanto tempo. Serem mais “justos” no que fazem. Às vezes há quem não precise e tenha direito à bolsa e, quem precisa, não tem.
Céline S.

Menos burocracia
Mais solidariedade, ser mais humano.
Cada um deve lutar mais por aquilo a que tem direito.
Não ter medo de ir à luta e de fazer ver aos outros a sua situação e a sua reinvindicação
Pensar que o que se passa com os outros também poderia ser conosco.
Anónimo

os estudantes universitários deviam ser mais acessíveis a todos os estudantes.
As propinas não deveriam aumentar.
Mais condições nas salas de aulas, principalmente na falta de material e no próprio espaço das salas de aula.
Sandra P.

Estudar é um direito que todos temos. Penso que se queremos ter uma formação e não temos possibilidades financeiras, acho que deveríamos ter apoios.
Quanto à mudança legislativa, deveria mudar:
– a quantidade de burocracia necessária para concorrer à bolsa.
– reclamar se achar injusto e, caso não seja nada mudado, organizar manifestações de protesto de modo a mudar.
Maria M.

– Devia existir uma melhor organização na Acção Social – mais pessoal a rever os rendimentos.
– Maior fiscalização das famílias.
– Denúncias por parte dos colegas em relação aos gastos supérfluos.
– Verificar quem possui bens que não estão em nome dos próprios.
– Quem não tiver bolsa, mesmo assim, poderia realizar trabalhos na escola a nível de secretariado, cantinas, repografias, para poder custear as propinas ou, pelo menos, estar isento.
Filomena P.

A injustiça deve mudar.
Marina C.

Avaliar o comportamento dos funcionários
Melhor diálogo entre professores e alunos
Mais simplicidade sem grande arrogância
Rosana R.

Talvez deveria haver mais facilidades para que os alunos pudessem estudar e que tivessem todos os mesmos direitos e oportunidades.
Sara A.

Criar alguma igualdade com uma bolsa mínima garantida a todos os estudantes do ensino superior público (com aproveitamento escolar)
Diminuir a burocracia dos processos de candidatura à bolsa, por exemplo, o facto das famílias terem ou não propriedades não deveria ser considerado neste processo, uma vez que é quase ridículo uma família vender uma propriedade para o filho se poder formar e ser um ser activo na sociedade.
Maria M.

– Mais apoio e procupação por parte dos serviços públicos
– Diminuir o tempo de espera pela bolsa
– Uma avaliação mais aprofundada de cada caso de candidatura à bolsa
– Criação de associações de apoio ao estudantes
– Menos burocracias
Francisca S.

– Burocracia
– Tempo de espera
– Qualificação dos empregados da Acção Social
Marina B.

– Tempo de espera pelas bolsas deve ser menor
– Qualificação dos empregados da Acção Social
Daniela R.

As propinas devem ser mais baixas para que todos possam estudar sem terem problemas de não conseguirem pagá-las.
O Estado deve ajudar mais os estudantes.
Ana J.

Muito antes de se estabelecer um processo lei que protegesse os estudantes era importante criar uma mentalidade mais progressista e a urgente necessidade de criar uma organização mais lutadora e convicta que trabalhe mais de perto com associações de estudantes a fim de ouvir as suas opiniões para jovens do hoje e amanhã.
Diana A.

Não devia haver tanta burocracia; o estado deveria estar mais atento aos problemas financeiros dos estudantes, porque nem sempre é fácil “manter” um estudante.
As bolsas deviam ser mais e melhores.
Sandra N.

Maior e melhor análise dos formulários das bolsas para tentar combater a discriminação existente na entrega e valor das bolsas pelos vários estudantes.
Tatiana G.

Medidas educativas para que todos os alunos consigam beneficiar de meios para concluir o seu curso.
Ana S.

Mais do que uma mudança legislativa, o que é importante é desenvolver mecanismos que permitam suscitar uma melhor e mais simplificada organização de serviços. É evidente que as mudanças culturais obrigam a mudanças legislativas, mas uma atitude mais pró-activa de todos é importantíssimo para suprimir as lacunas que ainda existem, por isso é importante que o trabalho em rede seja mais funcional e eficiente.
Claudio A.

É necessária a criação de uma organização que proteja os direitos dos estudantes, tendo em conta as suas necessidades económicas e sociais.
Eliete G.

– Atendimento por parte dos funcionários
– Maior rapidez na análise dos processos porque muitos alunos passam dificuldades durante o período de tempo que ficam à espera do resultado. As entidades responsáveis deveriam parar um pouco no tempo e pensar que no teatro ou no cinema as coisas são encenadas, mas esquecem-se que as cenas representadas traduzem a realidade de muitos alunos universitários.
Amália S.

Devem ser organizadas palestras de modo a expormos as nossas ideias e opiniões para chegarmos a um consenso e tentarmos melhorar a legislação.
Claudia M.

Um estudo sério sobre prespectivas de empregabilidade dos jovens licenciados.
Hélder S.

Mais apoio e protecção aos estudantes.
Maria B.

– Devem haver mais pessoas a analisar os processos.
– Associação de apoio aos estudantes.
– Melhor diálogo entre professores e alunos, extra aulas.
Anónimo

(Acho que deviam apresentar esta peça a professores e locais onde fosse possível haver mudança na pratica.)
-Deveria haver mais possibilidade/oportunidade.
-os casos deviam ser bem avaliados (quem merece realmente a bolsa e não)
Tatiana P.

– Mais profissionalismo em relação às pessoas que estão nos balcões, para ajuda aos alunos e restantes.
– Mais facilidades de bolsa para alunos desfavorecidos, para tentar resolver a questão das desigualdades.
Ana S.

– Haviam de analisar muito bem as pessoas a quem atribuem as bolsas, vendo todos os documentos actualizados.
Sara D.

Para haver mudança legislativa, é necessário reclamar, ser persistente e tentar obter resultados.
Andreia F.

-Para existir mudanças as pessoas têm de reclamar.
-O estado poderia dar mais ajudas e deixar de mandar preencher tanta papelada. Mas para isso as pessoas não podem ficar caladas.
Lina L.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: